Ouvir, sentir e criar - Música para bebés

Joana Rebelo de Pinho

Orçamento: 8.000,00 €


Informação:

“Ouvir, sentir e criar – Música para bebés” é uma proposta para desenvolver as capacidades musicais, artísticas e sensoriais dos bebés (4 aos 18 meses) através de atividades livres e harmoniosas. O projeto preconiza-se na oferta de seis sessões a cada sala, da faixa etária a definir, de cada creche que queira integrar esta oferta educativa; e também um workshop destinado às educadoras e famílias. Desta forma mantemos a curiosidade dos bebés aguçada diariamente, indo de encontro ao pensamento de Maria Montessori que acreditava que “a curiosidade é um impulso para aprender”.

Descrição:

Público-alvo: bebés dos 4 aos 18 meses (Creche - salas do berçário) assim como os respetivos cuidadores.

Objetivo: oferecer a possibilidade de desenvolver as capacidades musicais, artísticas e sensoriais dos bebés através de atividades livres e harmoniosas respeitando as especificidades de cada bebé.

 

A UNESCO no seu documento “Educação artística para a resiliência e a criatividade”, defende que a “educação artística – aprimorada pelas sinergias reforçadas entre os setores de cultura e educação – é uma componente fundamental e complementar para a paz e o desenvolvimento sustentável, que possibilita e enriquece os valores essenciais que nos conectam a todos”. Desta forma, podemos afirmar que a educação artística é fundamental para o desenvolvimento das crianças como parte de uma sociedade preocupada com a equidade e a sustentabilidade, que precisa de pessoas empáticas, criativas e inteligentes para promover um ambiente de paz, harmonioso e sustentável.

A importância da educação artística é reforçada pela “Declaração de Frankfurt para a Educação Artística” da World Alliance for Arts. Neste documento é afirmado o direito de todos a uma educação enriquecedora e humanista, com e sobre as artes, em todas as suas diversas formas, na educação formal, informal e não formal. É também apelado, entre outros limites, a que todos os atores internacionais reconheçam que as artes, assim como os seus educadores, desempenham um papel essencial na promoção e transformação da humanidade; reforçando a necessidade de promoção da educação artística como um pilar vital para nutrir, na sociedade, uma cultura de sustentabilidade.

 

Após observação do meio que nos rodeia no que respeita ao ensino artístico da música constato que apesar da oferta da educação artística ter evoluído bastante nas suas mais diversas formas nos últimos anos, existe ainda uma faixa etária esquecida – os bebés dos berçários (que corresponde aproximadamente às idades entre os 4 e os 18 meses).

Edwin Gordon defende que “uma criança nunca terá uma maior capacidade para aprender música do que no momento do nascimento." pelo que será da maior relevância oferecer a possibilidade destas capacidades serem desenvolvidas o mais cedo possível.

Pautada por estes documentos que considero muito importantes e inspiradores para a educação na atualidade, venho propor este projeto que certamente ajudará a combater esta lacuna na educação artística das crianças da nossa cidade e quem sabe ser inspiração para a valorização da educação artística na primeira infância no resto do país.

 

Com esta oferta pretendo oferecer a cada bebé a experiência e a vivência da música e a arte de forma livre e pessoal, assim como potenciar os seus sentidos, gostos, habilidades naturais de forma respeitosa e harmoniosa com o corpo e o meio, tendo como guia cada bebé e as suas particularidades.

O projeto preconiza-se na oferta de seis sessões a cada sala, da faixa etária determinada de cada creche que queira integrar esta oferta educativa e também um workshop destinado às educadoras e famílias, no sentido de aproximar as figuras importantes da educação de cada bebé e dar ferramentas aos pais e cuidadores para, se assim o desejarem, trabalharem e potenciarem estas capacidades no dia a dia com os seus filhos porque este pode e deve ser um estímulo diário, constante e integrado nas rotinas de cada família. Desta forma mantemos a curiosidade dos bebés aguçada diariamente, indo de encontro ao pensamento de Maria Montessori que acreditava que “a curiosidade é um impulso para aprender”.

Orçamento:

  • Honorários 3000€
  • Material 5000€


Galeria:

Mapa: